• Equipe Artistas Latinas

Conheça o Ladrilha, projeto que leva poesias em azulejos para as paredes das cidades


Na imagem, a artista Fernando Cardoso vestida com uma blusa preta de bolas brancas aplica um ladrilho branco com texto preto em uma parede de rua com desenhos
A artista Fernanda Cardoso aplicando um de seus ladrilhos - Foto: Tiago Petrik

O projeto Ladrilha, criado em 2017 pela jornalista carioca Fernanda Cardoso, tem ganhado as ruas brasileiras, ocupando de forma poética os espaços públicos. As intervenções funcionam em uma estética que remetem aos lambes, tão conhecidos dos moradores de grandes metrópoles: são colados, em paredes aleatórias, azulejos com frases, que permanecem no espaço até o seu apagamento ou destruição. Um exemplo disso é com a obra "Meu ser mulher" realizada no bairro do Santo Antonio Além do Carmo, em Salvador. Na imagem, é perceptível a intervenção feita na obra que, segundo a artista, faz parte do seu processo de existência - além de revelar diversas camadas de simbolismo.


Azulejo branco com a frase MEU SER MULHER escrita com caneta preta, com a parte de baixo quebrada. O azulejo está aplicado em uma parede amarela, onde alguns outros desenhos estão colados na parte de baixo.
Detalhe da obra "Meu ser mulher" realizada no bairro do Santo Antonio Além do Carmo, em Salvador.

Em 2020, o projeto foi um dos 20 premiados pelo Olodum por iniciativas culturais no Brasil e no Mundo realizadas por mulheres. Segundo a artista, "Expor na rua, sendo mulher, traz muito simbolismos. Ocupar esse espaço hostil com minha autoria e autoridade é também uma forma de resistir no mundo, e de me ocupar de mim. "

90 visualizações5 comentários