Araceli Gilberti

EQUADOR

1913

Araceli Gilbert nasceu em Guayaquil, Equador, em 6 de dezembro de 1913. Começou seus estudos em 1936 na Escola de Belas Artes de Santiago do Chile. Ela foi aluna de Jorge Caballero e Hernán Gazmurri, conhecidos incentivadores da rebelião plástica chilena que mais tarde se transformou no grupo Montparnasse. Ela então retorna a Guayaquil em 1942 e estuda sob a direção do professor Hans Michaelson. Com ele, ela aprende sobre o expressionismo europeu e seu trabalho a partir deste período mostra uma Araceli cautelosa, inclinada à arte figurativa. Durante esse período, ela também faz parte da elite intelectual de Guayaquil, junto com seu primo, o importante escritor Enrique Gil Gilbert e sua esposa Alba Calderón. Juntos, eles têm uma participação ativa na Sociedade de escritores e artistas independentes.
Em 1943, ganha um prêmio triplo: Pintura, Escultura e Dissertação de História da Arte, concedida pela Escola de Belas Artes de Guayaquil. Logo depois, ela se instala em Nova York, onde estuda na Escola de Arte Ozenfant como discípula de Amédée Ozenfant, um dos pais do purismo pós-cubista e dá um passo importante para o desenvolvimento de seu próprio estilo.
Em 1946, no final da Segunda Guerra Mundial, Araceli retorna ao Equador e se muda para a capital, Quito.
Em 1950, viaja para Paris e entra em contato com August Herbin, que em 1931 havia criado o Abstraction - Creation Group. Com a orientação de Herbin, Araceli aprende a combinar os conceitos geométricos e abstratos, sujeitando-os a buscar o rigor matemático. Ela participa da Anti-bienal hispano-americana organizada por Picasso, além de vários shows em grupo, como o Salon de Réalités Nouvelles.
Em 1954, apresenta um show solo na Galeria Arnaud, em Paris, com um álbum de litografias, incluindo um prólogo de León Dégand. Retorna a Paris em 1955 e se casa com o escritor, fotógrafo e explorador sueco Rolf Blomberg.
Em 1960, ganha o Segundo Prêmio no IV Salão de Outubro em Guayaquil. No ano seguinte, ela ganha o primeiro prêmio de pintura no salão Mariano Aguilera, em Quito. Nesse ponto, Araceli consolida seu estilo, alcançando seu esplendor. Ela apresenta vários shows solo e participa de importantes shows coletivos do país. Ela também representa o Equador na Bienal de São Paulo no Brasil, Bienal de La Havana em Cuba e Bienal de Coltéjer em Medellín, Colômbia.
Em 1989, o governo equatoriano concede a ela o Prêmio Nacional Cultural Eugenio Espejo. Ela morre em Quito em 17 de fevereiro de 1993.

Batato

Batato

Óleo sobre tela 1989

Nua

Nua

Óleo sobre Tela 1988

AUTORRETRATO

AUTORRETRATO

Giz e pastel sobre papel 1980

Gustavo Marrone en su atelier

Gustavo Marrone en su atelier

Óleo sobre tela 1988

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

Técnica mista sobre tela 2018

LINKS ÚTEIS:

Fonte: