Ana Mendieta

CUBA

1948 - 1985

A artista nasceu em Havana em 1948, no seio de uma família ativa na política. Quando Fidel Castro subiu ao poder, em 1961, ela e sua irmã foram enviadas aos Estados Unidos. Estudou pintura na Universidade de Iowa e fez um mestrado em Intermídia na mesma universidade. Durante o programa, Mendieta começou a experimentar com fotografia, vídeo e performance.
A arte de Ana Mendieta tem um alto componente de evento, de ritual. Por isso a importância não só dos materiais – sangue, fogo, terra – mas também dos movimentos do corpo. Sua semelhança com os rituais das culturas pré-colombianas dão um componente metafísico às performances da cubana. A artista também usa sua arte para denunciar a violência contra as mulheres. Em Untitled, Rape Scene (1973) recriou a cena na qual se fez vítima imaginária de uma violação.
Em Siluetas – a série mais conhecida da artista-, Mendieta utiliza seu corpo ou constrói no meio da natureza uma silhueta feita de pólvora, de pedras ou de barro, e deixa que ela interaja com o ambiente.
Mendieta morreu em Nova York em 1985. Em 2009, a prestigiosa Fundação Cintas de Cuba reconheceu seu legado, dando-lhe o prêmio Vida e Obra.

Batato

Batato

Óleo sobre tela 1989

Nua

Nua

Óleo sobre Tela 1988

AUTORRETRATO

AUTORRETRATO

Giz e pastel sobre papel 1980

Gustavo Marrone en su atelier

Gustavo Marrone en su atelier

Óleo sobre tela 1988

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

Técnica mista sobre tela 2018

LINKS ÚTEIS:

Fonte: