Ana Werren

GUATEMALA

1986

Ana Werren é artista visual e fotógrafa, formada em fotografia e gestão de projetos fotográficos pela La Fototeca e pela Universidad de San Carlos de Guatemala (2012), com especialização em fotografia artística “New Generation” pela Fototeca ( 2014). As obras da artista são elaboradas por paisagens corporais, tensões, linhas e movimentos. Atualmente compõe peças escultóricas que evocam um estudo meticuloso e delicado sobre a tensão e a união dos elementos de madeira com hastes de metal, a tensão é gerada pela atração de ímãs que direcionam e guiam parte da escultura, como vemos na série de esculturas Tensión (2020). Suas obras vão do tridimensional ao bidimensional, como podemos ver na instalação Peinar y Acariciar (2019), obra em colaboração com a artista plástica Margo Porres. Esse Site Specific é realizado em meio a um viveiro botânico e os participantes são estimulados, por meio de imagens, a pentear, acariciar, conversar e interagir com as plantas, de forma sensorial e afetiva; uma obra que completa um círculo de sensações. Podemos perceber sua intensa produção em torno do corpo, mas de que corpo estamos falando? O corpo como espaço neutro que se expande para a experimentação, provocando diferentes leituras entre seus espectadores. Em suas fotografias evidencia-se seu estudo do corpo humano, em que o limite de um braço é a extensão do outro criando outros corpos.
O corpo não apenas como máquina rotineira, mas sim como paisagem, como podemos perceber na obra Dos Cuerpos e Paisaje Corporal (2018). Já no estudo do comportamento do material por meio das hastes de madeira que se esticam entre as mãos e o tronco, em que parece que os dois elementos se conformam, são percebidos as fotografias Estructura Corporal (2018) e Métalica (2017), com varas de metal. Seu ponto de partida começa com a série fotográfica Corpóreo (2016) onde a artista
documenta dois personagens em um, o corpo imóvel e sua ligação com o outro, aquele ser branco que sai dela, que percorre seu corpo, sempre unido, sempre um.
A artista participou de duas exposições individuais: Tensión no Museu de Arte e Design Contemporâneo (MADC) de San José Costa Rica (2020). Corpóreo, Entendible na Galería Extra (2018) e várias exposições coletivas, incluindo o Head On International Photography Festival em Sydney, Austrália. Tiempo, Espacio na Galería Extra, Guatemala (2019). Finalistas do prêmio Luis González Palma de Guatephoto (2018).
Collective Intimacy, colaboração com a artista Margo Porres (2018) com o Juannio Latin American Art Auction, Guatemala (2017 e 2018), Festival Internacional de Fotografia em Pingyao, China (2013-2014) Exposição Huéspedes del Presente, Madrid, Espanha (2013) e tem uma publicação no livro Lenguajes de Luz, Dos Siglos de Fotografía en Guatemala (1844-2018).

Batato

Batato

Óleo sobre tela 1989

Nua

Nua

Óleo sobre Tela 1988

AUTORRETRATO

AUTORRETRATO

Giz e pastel sobre papel 1980

Gustavo Marrone en su atelier

Gustavo Marrone en su atelier

Óleo sobre tela 1988

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

Técnica mista sobre tela 2018

LINKS ÚTEIS:

Fonte: