Andrea Fonseca

HONDURAS

1989

Andrea Fonseca é artista visual, formada em design gráfico pelo Centro Universitário Tecnológico Ceutec (2017) - Honduras, tendo anteriormente iniciado os estudos em medicina - onde ficou por três anos e desistiu para se dedicar a uma carreira próxima na arte. Desde 2012 realiza diversos murais dentro e fora do país. Entre eles, o mural Florecé (2017), resultado da oficina Ni Azul Ni Rosado, onde a artista destaca a importância da igualdade de gênero, ministrada no Centro Cultural da Espanha na Nicarágua. Em seguida, fez o mural Berta Vive (2018) em homenagem à liderança indígena e ativista ambientalista, realizado no Espaço da Igualdade Berta Cáceres, Madrid, Espanha. Mural Visibility (2018) realizado no Theatre Deli Broadgate em Londres, Inglaterra, com referência à visibilidade para o mês do orgulho LGBTQI+.
Posteriormente, inicia a residência artística Rapaces, Géneros.as, onde apresenta a instalação Detox (2019) no Centro de Cultura de Espanha em San Salvador. Mais uma vez é convocada a participar no Rapaces Residência, Reflexão e Ação onde apresenta três trabalhos, entre eles Processo de blanqueo (2019) onde mostra uma cópia do seu passaporte com algumas intervenções que evocam a lavagem física. Obra que incentiva a reflexão sobre a ideia de higienizar uma raça, como produto do racismo
estrutural.
Honduras é um país em que o aborto é fortemente criminalizado, com pena de 3 a 10 anos de reclusão, bem como o uso da pílula do dia seguinte, estando totalmente proibido desde 2009, tornando centenas de mulheres impossibilitadas de ter acesso a um atendimento eficiente e seguro, colocando-as em situação de vulnerabilidade e risco físico e mental, ao qual a artista se une ao movimento de mulheres com iniciativas de resistência onde são realizadas oficinas de sexualidade e gênero em um país que urge a conscientização de sociedade conservadora. Suas obras foram apresentadas em diferentes exposições, como Mulheres, Novas Histórias (2014), Museu da Identidade Nacional, Honduras. Também na Scars of Cold Kisses (2016) no MADC, Marco de la Bienal Centroamericana, Costa Rica (2016), Sexto Sentido no Centro Cultural de España, Tegucigalpa, Honduras (2017) Erotismo Ibérico Ilustrado (2018)

Batato

Batato

Óleo sobre tela 1989

Nua

Nua

Óleo sobre Tela 1988

AUTORRETRATO

AUTORRETRATO

Giz e pastel sobre papel 1980

Gustavo Marrone en su atelier

Gustavo Marrone en su atelier

Óleo sobre tela 1988

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

Técnica mista sobre tela 2018

LINKS ÚTEIS:

Fonte: