Catiuscia Dotto

BRASIL

1983

Nascida em Santa Maria, no sul do Brasil, em 1983, Catiuscia Dotto é escultora e professora de Artes do Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSUL - Camaquã). Graduada pela Universidade Federal de Santa Maria (2006), instituição onde também concluiu o Mestrado em Artes Visuais (2016), a escultora apresenta uma trajetória cujas identidades transitam entre a da artista e a da educadora, ambas em encontro e conflito contínuos, em um incessante deslocar. Sua investigação poética permeia um feminino, que, ao longo do tempo, vai se constituindo a partir da desconstrução formal e da reconstrução simbólica, em uma busca de certa simbiose com a natureza, fruto de encantamento e observação. No perseguir do toque, a escultora experimenta diversos materiais, navega do modelado ao entalhe.
Acompanham sua poética também cartografias geográficas: percorrendo países como Chile, México, Peru, Argentina, Uruguai, Bolívia e Egito, Catiuscia produz e circula sua arte em diversos Simpósios de Escultores, eventos que acredita serem importantes para sua contínua formação, espaços de encontro a partir dos quais se originam redes de atuação. Em seu caminhar mais recente, destaca-se, em 2019, a elaboração de uma escultura representando o Brasil no Memorial Reliving Humanity, na cidade de Sharm el Sheik, Península do Sinai, Egito. Também entre suas principais exposições (DES)brotamentos, grupo escultórico apresentado no Instituto de Arquitetos do Brasil, Porto Alegre, Brasil (2017); na Universidade Federal de Santa Maria, em comemoração ao 55º aniversário do Centro de Artes e Letras (2018) e no Centro Cultural Kavlin, em Punta del Este, Uruguai (2019). Além disso, a artista produziu e participou com esculturas da exposição itinerante e autônoma Viajeros del Sur, coletiva que reuniu artistas do Brasil, Uruguai, Chile e Argentina e que percorreu os quatro países de 2016 a 2018.
Por último, é preciso dizer que Catiuscia não apenas transita entre poéticas e geografias. De 2011 a 2015, foi ela, também, criadora de espaços, organizando o Simpósio Internacional de Escultores de Santa Maria junto ao Grupo Arte Pública, coletivo de artistas que integra. Em todas as suas movenças, permanece o interesse pelo processo de socialização da arte, processo que reúne as figuras de artista e educadora, ambas atravessadas por uma concepção de arte que se volta para o mundo não apenas como criação estética, mas como possibilidade de se repensar o mundo e as sociedades em que vivemos.

Batato

Batato

Óleo sobre tela 1989

Nua

Nua

Óleo sobre Tela 1988

AUTORRETRATO

AUTORRETRATO

Giz e pastel sobre papel 1980

Gustavo Marrone en su atelier

Gustavo Marrone en su atelier

Óleo sobre tela 1988

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

Técnica mista sobre tela 2018

LINKS ÚTEIS:

Fonte: