Isabel Herrera

GUATEMALA

1975

Isabel Herrera é psicóloga, educadora e fotógrafa. Sempre teve contato com a arte. Ainda criança, observava atentamente como sua mãe criava peças com a técnica Batik e, ao mesmo tempo, compartilhava o interesse pela fotografia com o pai, quem estava sempre disponível para congelar momentos nas reuniões familiares. Durante alguns anos, praticava espontaneamente algumas técnicas artísticas em diversos cursos, até que em um certo momento, voltou seu foco para o mundo da imagem. Enquanto participava de um projeto com o renomado artista Luís González Palma, tomou a iniciativa pela fotografia. Em 2016, um trágico acidente a leva à beira da morte, e sua sobrevivência despertou um sentimento de resiliência que abriu novos horizontes de experienciais espirituais de força e esperança. “Ver com a alma” possibilita a percepção de seu entorno com uma visão efêmera, frágil e delicada. Este marco, a inspira uma série de fotografias com a câmera Polaroid SX70, pois as imagens deste dispositivo obedecem ao formato que a fotógrafa busca; o instantâneo, a transparência, o evanescente e o sentimento de nostalgia.

Com o tempo, ela descobre uma comunidade diversificada e global de pessoas que compartilham o mesmo interesse na geração de câmeras Polaroid, assim inicia sua participação em diferentes atividades no universo da fotografia instantânea. Seu interesse em expandir o campo de experiência em fotografia a leva a aprender sobre a técnica não convencional de emulsificar imagens, o "emulsion lifting", termo que se conhece no meio fotográfico, que proporciona um novo formato aos seus trabalhos; um formato que não possui resposta fixa, tornando as peças uma poesia. Captar o efémero, o impermanente, bem como a fragilidade da vida, através da lírica numa imagem leve, limpa e sutil, é o que Isabel Herrera almeja com a sua obra.

Atualmente a artista faz experiências com diferentes suportes fotográficos não tradicionais, como o alumínio e o acrílico. Também estuda intervenções e instalações, sempre com fotografia instantânea. Seus trabalhos a levaram a participar de várias publicações, como na revista Circle Quarterly Art Review (2020) “El Enigma de un imagen roto y casi sin color” por Isabel Herrera no Diario la Hora, de Guatemala. Assim como participou de colaborações e exposições coletivas na Galeria Sol del Río e nas recentes exposições do Leilão de Arte Contemporânea Latino-Americana, JUANNIO (2019,2020) ambas na Guatemala; Instant Art Paris (2019) Paris, França; Cluster Fotography and Print Fair (2020) Londres, Inglaterra; Festival de Fotografia Experimental (2020) Barcelona, ​​Espanha; International Instant Art Expo (2019) Colônia, Alemanha, ISO600 The Instant Photography Festival (2019,2020), entre outros. Suas próximas mostras serão contempladas na Itália, França, Estados Unidos e Guatemala.

Batato

Batato

Óleo sobre tela 1989

Nua

Nua

Óleo sobre Tela 1988

AUTORRETRATO

AUTORRETRATO

Giz e pastel sobre papel 1980

Gustavo Marrone en su atelier

Gustavo Marrone en su atelier

Óleo sobre tela 1988

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

Técnica mista sobre tela 2018

LINKS ÚTEIS:

Fonte: