Luz Donoso

CHILE

1921

A gravurista chilena Luz Donoso nasceu em Santiago em 1921. Iniciou seus estudos em medicina, mas nunca concluiu seu curso. Em 1956, ingressou no Taller 99, fazendo cursos de desenho e gravura com Nemesio Antúnez (1918–1993) e depois exibindo com o grupo. Em 1963, Donoso estudou pintura mural na Escuela de Bellas Artes, Universidade do Chile, em Santiago. Nesse mesmo ano, recebeu a primeira de várias honras: uma menção honrosa na bienal de artes gráficas organizada pela Casa de las Américas em Havana. Em 1964, junto com os artistas Pedro Millar (1930–2014) e Carmen Johnson, Donoso pintou um mural no aterro do leito do rio Mapocho em Santiago, em apoio à campanha presidencial de Salvador Allende. Em 1965, o governo Iugoslavo concedeu a ela uma bolsa para estudar pintura de murais, e durante este ano, ela e Millar viajaram pela Europa. Em 1971, começou a ensinar artes gráficas na Universidade do Chile, cargo que ocupou até 1973, quando, após o golpe de Estado militar de Augusto Pinochet, Donoso foi afastado de seu cargo, provavelmente por causa de suas tendências políticas. Após esses eventos, tornou-se membro fundador da Taller de Artes Visuales em Santiago, onde trabalhou ao lado de artistas e críticos chilenos em um período intenso de arte política e crítica.
Apesar de participar de inúmeras exposições coletivas e ações artísticas, sua primeira e única exposição individual durante sua vida foi realizada em 1976 no Instituto Chileno-Francés, em Santiago, onde Donoso apresentou uma série de gravuras. A apresentação de seu trabalho no contexto da galeria de cubos brancos, e não nos espaços públicos, levou-a a questionar o objetivo e o público de exposições individuais. Sempre fiel ao meio da gravura, Donoso insistia que suas impressões devessem viver em espaços públicos onde poderiam se tornar ações sociais. Ao longo dos anos 80, participou de inúmeras ações artísticas em espaços públicos. Como resultado de seu envolvimento com diferentes causas sociais e humanitárias e em colaboração com outros artistas, em 1982, Donoso começou a contextualizar sua prática artística como obras críticas realizadas, como ela disse, "dentro y fuera del arte" (dentro e fora da arte)-Integrante ao seu pensamento, ela começou a descrever suas obras de arte como "denuncia y desacato" (denúncia e desprezo). Durante toda a sua vida, ela manteve um meticuloso arquivo de fotografias, gravações de áudio e vídeos que hoje constituem um recurso inestimável. para o estudo das artes visuais chilenas das décadas de 1960 a 1980. Luz Donoso morreu em Santiago em 2008 aos oitenta e sete anos.

Fonte:

Señalamientos con cuerpo estrecho

Señalamientos con cuerpo estrecho

foto da ação feita com poster de silk-screen (1979)

Huincha sin fin

Huincha sin fin

Instalação feita com fotografias em preto r branco com dimensões variadas (1978)

Para no morrir de hambre en el arte

Para no morrir de hambre en el arte

Desenho de embalagem de leite (1979)

El cuerpo estrecho

El cuerpo estrecho

Impressão digital sobre papel (1973)

LINKS ÚTEIS:

Apoio:

© 2020 por Artistas Latinas

Site desenvolvido por Revés Produções

Esse é um projeto sem fins lucrativos

Políticas do Site

MDWDM-logo-large-1.png
UM TETO SEU VAZADO.png
REVÉS_VAZADO.png
HISTÓRIA_DA_PARTE_VAZADO.png

Realização:

Patrocínio:

Nós respeitamos a liberdade de expressão e advertimos que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos.

  • Instagram - Black Circle