Lyz Parayzo

BRASIL

1994

Lyz Parayzo vive entre São Paulo e Paris. É uma artista multidisciplinar que trabalha com audiovisual, joalheria, escultura e performance. Estudou teatro na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO) e formou-se como artista visual na EAV Parque Lage (Escola de Artes Visuais do Parque Lage) e na Beaux-Arts de Paris. Tem o corpo como principal suporte de trabalho e sua performatividade diária como plataforma de pesquisa. Atualmente tem desenvolvido objetos para autodefesa que transitam de joias em prata a armaduras, escudos e armas em alumínio. Foi indicada ao prêmio PIPA em 2017 e novamente em 2020. Já participou de residências artísticas em diferentes instituições como: Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), Despina Rio (como convidada do projeto "Arte e Ativismo na América Latina") e do projeto Pivô Arte e Pesquisa. Como performer participou da mostra Verbo na Galeria Vermelho (São Paulo), da mostra Iperformático (Mato Grosso do Sul) e apresentou-se no SESC Santos, SESC Birigui, SESC Guarulhos, SESC Araraquara, SESC Taubaté, SESC Avenida Paulista e SESC Bauru.
Participou de importantes exposições coletivas na América Latina e na Europa como: Histórias Feministas (MASP), Histórias da Sexualidade (MASP), Mulheres do acervo do MAR (MAR), Prêmio EDP (Instituto Tomie Ohtake), Estratégias do Feminino (Farol Santander, Porto Alegre), Anuário (Galeria Municipal do Porto, Portugal), Adorno Político ( Espaço Maus Hábitos, Portugal), 2 Gran Bienal Tropical (Porto Rico), Imersões Poéticas (Casa França-Brasil), Agora que são elas (CCSP). A artista também teve seu trabalho recentemente apresentando em mostras individuais na galeria Verve (São Paulo, Brasil), Galeria Vila Aymoré (Rio de Janeiro, Brasil) e na galeria Espace L (Genebra, Suíça).
Seu trabalho integra importantes coleções como: MAC-Niterói, Museu de Arte do Rio (MAR) e Museu de Arte de São Paulo (MASP).

Batato

Batato

Óleo sobre tela 1989

Nua

Nua

Óleo sobre Tela 1988

AUTORRETRATO

AUTORRETRATO

Giz e pastel sobre papel 1980

Gustavo Marrone en su atelier

Gustavo Marrone en su atelier

Óleo sobre tela 1988

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

Técnica mista sobre tela 2018

LINKS ÚTEIS:

Fonte: