Marcia Schvartz

ARGENTINA

1955

Nascida em 1955 em Buenos Aires, Marcia Schvartz é uma artista multimídia argentina mais conhecida por suas pinturas figurativas expressionistas. Ela entrou na Escuela de Bellas Artes Manuel Belgrano em Buenos Aires em 1970, mas saiu antes de se formar. No início dos anos 70, recebeu treinamento informal de Ricardo Carreira (1942–1993), Luis Felipe Noé (n. 1933), Jorge Dermijían (n. 1932) e Aída Carballo (1916–1985). Em 24 de março de 1976, no mesmo dia de seu aniversário, um golpe de direita derrubou Isabel Perón e uma junta militar foi instalada. O desaparecimento de jovens que se seguiu à ascensão da ala direita chegou em seu convívio social: em 1977, sua melhor amiga, Hilda Fernández, desapareceu. Como membro do movimento juvenil peronista, uma ala de esquerda do partido peronista politicamente comprometida com as lutas da classe trabalhadora, Schvartz decidiu se exilar para Barcelona em 1979. A perda dos desaparecidos pela junta, combinada com a morte de sua amiga, a artista Liliana Maresca (1951-1994) – ocorrida alguns anos depois devido a complicações relacionadas à AIDS, se tornariam fontes de inspiração para Schvartz. Ela também focaria sua atenção em retratar mulheres que eram marginais ao que o cânon da beleza ditava e em representar atos sexuais da perspectiva do olhar feminino. Retornando à Argentina em 1983, voltou sua atenção para a pintura de cenas e retratos de pessoas dos bairros desprivilegiados de Buenos Aires. A política populista que ela praticou em sua juventude tornou-se especialmente vívida em seu trabalho após os anos 80. Ela também colaborou com grupos de teatro underground, projetando guarda-roupas, cenários e acessórios. Embora tenha permanecido fora do mercado de arte comercial, Schvartz recebeu atenção e elogios em nível nacional. Em 1992, recebeu o Primer Premio no 37º Salão Municipal de Artes Plásticas Manuel Belgrano; em 1996, foi premiada com o Primer Premio no Salão Hugo Del Carril, no Museu de Arte Moderna de Buenos Aires; e em 2015, ganhou o Gran Premio de Honor do Banco Central da República Argentina, Buenos Aires. Seu trabalho está incluído em coleções públicas no exterior e na Argentina, no Museu Nacional de Belas Artes de Buenos Aires, no Museu Municipal de Belas Artes Juan B. Castagnino em Rosário e no Museu Provincial de Belas Artes Timóteo E. Navarro em Tucumán. Schvartz vive e trabalha em Buenos Aires, onde continua comprometida com a pintura e o ensino de arte.

Batato

Batato

Óleo sobre tela 1989

Nua

Nua

Óleo sobre Tela 1988

AUTORRETRATO

AUTORRETRATO

Giz e pastel sobre papel 1980

Gustavo Marrone en su atelier

Gustavo Marrone en su atelier

Óleo sobre tela 1988

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

El psicoanálisis con rabia roía el cráneo por dentro y por fuera

Técnica mista sobre tela 2018

LINKS ÚTEIS:

Fonte: