Curadoria____ Andréa Hygino, Isabel Carvalho, Paulo Farias e Emmanuele Russel

Governo Federal, Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura, Governo do Rio de Janeiro, Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa, através da Lei Aldir Blanc, apresentam

de 05.abril  a 30.abril de 2021

Águi Berenice

Ana Bia Novais

Ana Brito

Andiara Lourenço

Bia Gonçalves

Carinne Lira

Carla Santana

Claudia TS

Cynthia Dias

Ingrid Lemos

Karine de Souza

Kimera Moreira

Layla Werneck

Lolly

Mayara Velozo

Melissa Anselmo

Monique Rodrigues

Monique Serenado

Myllena Araujo

Roberta Vaz

Silvana Marcelina

Silvia Schiavone

Talita Nascimento

Tâmisa Pereira

Thaís Basilio

Thaís Iroko

Vanessa Guida

Virna Bemvenuto

Yaya Ferreira

_artistas participantes

           .resistir.

A proposta curatorial aqui apresentada foi elaborada a partir das pesquisas e discussões trazidas pelas artistas participantes da mentoria durante esses 2 meses. O contato entre produções tão distintas gerou seus próprios atravessamentos, conexões e costuras poéticas. Nesse processo construído de forma coletiva ficou evidente que cuidávamos de uma mesma necessidade, RESISTIR.

Em tempos de pandemia e desgoverno, o trabalho de cada uma dessas artistas não foge a essa vontade. Nessa mostra as vivências enquanto mulheres, periféricas/suburbanas e artistas se materializam em exercícios de resistência ao sexismo, à exclusão territorial, à desvalorização da prática artística, aos silenciamentos. 

 Divididos em três eixos, os trabalhos expostos refletem atos de resistência diante de um olhar cuidadoso sobre as urbanidades,  identidades e  afetividades. 

 

Textos curatoriais por Andréa Hygino.

 .identidades

A busca e a construção de si enquanto pessoa única e a criação de uma identificação coletiva/partilhada parecem termos indispensáveis aos trabalhos reunidos neste grupo. As artistas tomam o lugar da enunciação, reivindicam o direito de fala e criação de suas próprias narrativas ao lançar mão de imagens sobre o feminino, ancestralidade, raça, gênero e territorialidade.

Suturas Impressas (2020/2021)

livro instalação - madeira, acetato, linhas, papel e objetos

Vanessa Guida

Periférica (2021)

fotografia digital

40x60cm

Claudia TS

Cordões (2020)

escultura - madeira e cordas

caixa de 40x8x5cm e 250cm de cordas

Tâmisa Pereira

Denúncia (2021)

cartaz em tecido de algodão e tinta acrílica

1,0 x 2,0 m 

Águi Berenice

Composição sem título 1, 2 e 3 (2020)

Costumização e pintura com acrílica sobre roupas e tela

Lolly

série Iconografia do Gesto (2021)

Acrílica e pastel oleoso sobre papel

29x42cm

Carla Santana

Samba Kalunga Adornada (2020)

Acrílica, pastel oleoso e marcadores sobre tela
50x70cm

Yaya Ferreira

O útero flambado (2020)

Videoarte

Silvia Schiavone

Costela-mulher (2021)

PVA sobre tábuas de madeira

14x29cm (tamanho individual)

Melissa Anselmo

Violência patriarcal (2021)

Colagem analógica

29.7x42cm

Bia Gonçalves

.afetividades

Processos de criação que habitam o campo dos afetos, desde o auto-acolhimento à construção das redes de apoio, dos laços familiares/ancestrais aos grupos de luta social e política; da casa à comunidade. Frente à violência que ameaça a integridade de corpos periféricos, femininos, os lugares de afeto, pertencimento e cuidado são necessariamente fontes que alimentam a luta, a resistência e manutenção da vida.      

Série Eu-tangerina (2020)

Colagem digital

20x20cm

Carinne Lira

Ensaio sobre expurgo de ilusões (2020)

fotografia-performance

60x90

Talita Nascimento

Sem título (2021)

tecido de estofaria, goma laca e folha de ouro

2,80x1,60cm

Mayara Velozo

Era dourada (2021)

intervenção fotográfica com impressão em tafetá estilo bandeira

100x70cm

Karine de Souza

Conexões (2021)

intervenção com fios, grampos e fotos sobre tela de madeira

1,60x2,00m

Roberta Vaz

O que você sente? (2021)

site-specific

rede e bexigas

dimensões variáveis

Kimera Moreira

Série violência (2021)

intervenção sobre plumas

30x42cm 

Silvana Marcelina